Sítio da equipa do Centro de Documentação e Informação do Agrupamento de Escolas Passos Manuel
Aqui, apresentamos as atividades da nossa comunidade com as bibliotecas escolares, desde a Educação Pré-Escolar ao Ensino Secundário.

21/01/2013

O meu comentário



Este texto fundamenta-se em vários termos, conceitos e funcionalidades da Web 2.0 em meio escolar, e as repercussões sociais, a navegação e a pesquisa .
Web 2.0 é um termo criado em 2003 pela empresa americana O’Reilly Media para designar uma segunda geração de comunidades e serviços, tendo como conceito a "Web como plataforma", envolvendo wikis, aplicações, redes e Tecnologia da Informação. O termo tinha uma conotação de uma nova versão para a Web, ele não se referia à atualização nas suas especificações técnicas, mas a uma mudança na forma como era encarada pelos utilizadores e pesquisadores ou seja, envolvia um ambiente de interação e participação que hoje engloba inúmeras linguagens e motivações. Alguns especialistas em tecnologia, como Tim Berners-Lee, o inventor da World Wide Web (WWW), alegaram que o termo carecia de sentido, pois a Web 2.0 utiliza muitos componentes tecnológicos criados antes mesmo do surgimento da Web. Os princípios ditados por Tim O'Reilly, o precursor do uso do termo Web 2.0.eram:
"Web 2.0 é a mudança para uma internet como plataforma, e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma. Entre outras, a regra mais importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência coletiva"— Tim O'Reilly


Segundo Tim O'Reilly, a regra mais importante seria desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos da rede para se tornarem melhores quanto mais usados são. No momento presente a evolução da web 2.0 levou ao aperfeiçoamento da mesma e o surgir da web 3.0.

 Web é a plataforma, o software um serviço






Na Web 2.0 os softwares funcionam pela Internet, não somente instalados no computador local, para que vários programas se possam integrar formando uma grande plataforma. Em oposição ao que acontece com softwares tradicionais. O conteúdo dos websites também sofreu um enorme impacto com a Web 2.0, dando ao utilizador a possibilidade de participar, geralmente gerando e organizando as informações.  Este pode ser enriquecido através de comentários, avaliação, e/ou personalizado. Algumas aplicações Web 2.0 permitem a personalização do conteúdo mostrado para cada utilizador, sob forma de página pessoal, permitindo a filtragem de informação que este considera relevante, software livre partilha de informações devem dar ao utilizador a possibilidade de reutilizá-lo. Os consumidores utilizam todas as ferramentas disponíveis (Messenger, sites, blogs, e-mails, mensagens, etc.) para divulgar, sobretudo as suas experiências pessoais e opiniões em relação a produtos, serviços, marcas, empresas, notícias e eventos culturais(…).  Revelou um potencial colaborativo da Internet e pode ser usada como uma ferramenta pedagógica para a construção de conceitos. É neste sentido que muitos serviços online pretendem oferecer além de um ambiente de fácil publicação e espaço para debates, além de recursos para a gestão coletiva do trabalho comum. Igualmente no trabalho coletivo não virtual há sempre possibilidade de termos que lidar com ações não prudentes e desvinculadas do objetivo principal do projeto.

Uma rede social online não se forma tão e somente pela simples conexão de terminais. “Trata-se de um processo emergente que mantém sua existência através de interações entre os envolvidos”.



A Internet como plataforma


Na metade da década de 90 demonstrou-se a intenção de fazer da Internet a plataforma para todo e qualquer sistema computacional existente. Nos finais da década de 90, começaram a desenvolver – se padrões de Computação em nuvem. É uma tendência integrante da Web 2.0 que direciona todo tipo de dados de utilizadores- inclusive os próprios sistemas operacionais - a servidores online, tornando desnecessário o uso de dispositivos de armazenamento e possibilitando o compartilhamento de tal conteúdo com qualquer plataforma de acesso à web. Não inclui somente computadores, mas também note-books, iPods (…).Já existem diversos serviços online que aproximam as funções de um sistema operacional e oferecem recursos geralmente encontrados em computadores num ambiente online, tornando seu conteúdo totalmente portátil.

Biblioteca 2.0


O conceito Biblioteca 2.0 surgiu a partir da convergência e interligação dos conceitos encontrados nos termos Biblioteca e Web 2.0. Organizou-se o conhecimento e a informação na Internet (Disponibilizando uma experiência multimédia). O conceito Biblioteca 2.0 tem como características a abordagem centrada na comunidade e a correspondente partilha de informações (centrada no utilizador). A Biblioteca 2.0 não trata de ser uma biblioteca física, com livros nas estantes. Ela existe no ciberespaço, e é formada por uma rede de pessoas que se agrupam em comunidades com interesses comuns e que tenham como propósito compartilhar informações, conteúdos, documentos. É neste cenário que o bibliotecário 2.0 atua, fazendo conexões relevantes entre dados e informações com sua comunidade, além de auxiliar as pessoas na resolução de seus problemas e partilhando informação em ambientes digitais (Inovadora ao serviço da comunidade). Estas técnicas de trabalho tornam-se inovadoras a partir do momento em que os serviços e produtos oferecidos por bibliotecários respondam às reais necessidades das comunidades da qual participam, reinventando outras relações de trabalho e práxis da profissão. Os serviços do Bibliotecário 2.0 tem na desordem digital boas oportunidades para filtrar, organizar e categorizar as informações para sua posterior utilização, além de estabelecer um vínculo participativo com as comunidades e com as pessoas no desenvolvimento de novos serviços.






Sem comentários: